9.jpg
Candidaturas a projectos europeus

As estratégias de Lisboa e de Gotemburgo enformam a actuação da União Europeia e têm como objectivo mobilizar os actores nacionais, regionais e locais para os desadfios da sociedade do conhecimento e da sustentabilidade social e ambiental. A prática dasubsidariedade implica a caacidade de realização nos dirferentes níveis, coloando o mundo rural sob pressão.

Os fundos comunitários não são subsídios solidários aos mais atrasados, classificados como objectivo 1,  mas capitais para o desenvolvimento dos mais capazes nas diferentes regiões e sectores de actividade. Por isso é necessário demonstrar visão, arrojo e capacidade de planeamento e execução, mesmo quando se trata de projectos em regiões desfavorecidas. Sobretudo nessas.

Deste modo, a generalidade dos fundos, políticas e programas desdobram s objectivos estratégicos de Lisboa e Gotemburgo,  globais,  em objectivos sectoriais com aplicação territorialmente diferenciada consoante os níveis de desenvovimento regional.

A cooperação transnacional é obrigatória nestes projectos, nomeadamente nos programas directamente geridos por Bruxelas. Assim, a capacidade de escolha de parceiros credíveis e prestigiados, dita as probabilidades de sucesso. Uma boa ideia sem parceiros que acreditem nela e dêm garantias à Comissão europeia de que são capazes de a levar a cabo, não vale nada na roda dos projectos europeus.

A Etnoideia tem uma vasta expêriencia e reconhecimento internacional, ao nível das parcerias e das avaliações dos projectos em que participou. Alguns deles produziram prémios e exposições no Parlamento Europeu ou mesmo reconhecimento pela Comissão Europeia como boas práticas e disseminação internacional das mesmas. Por isso damos garantias de competitividade nas candidaturas que eleboramos.

Contacte-nos para a elaboração da sua candidatura ou mesmo para a transformação da sua ideia num projecto europeu.

Saiba mais sobre sobre os fundos comunitários:

A nova Política Europeia para o Desenvolvimento Regional Sustentável, tendo como pano de fundo as estratégias e Lisboa e Gotemburgo (até 2010):

  • Tornar-se na economia mais competitiva do mundo, com uma economia baseada no conhecimento, capaz de um crescimento económico sustentado, com mais e melhor  emprego e maior coesão social (Lisboa 2000)
  •  Dissociar a degradação ambiental e o consumo de recursos do desenvolvimento económico e social (Gotemburgo 2001)  

Estas estratégias, incorporam a três objectivos de base territorial, determinantes da qualidade, quantidade e intensidade dos fundos comunitários atribuídos a cada região (ao nível de NUT II):

Objectivo 1: “Convergência e Competitividade”
(Regiões com PIB > 75% da média UE25)
Modernização do tecido produtivo
Infrastruturas
Recursos Humanos e Integração Social
Desenvolvimento  Rural
Modernização da administração pública e capacitação institucional
Fundo de Coesão: grandes infrastruturas para 10 países da adesão

Objectivo 2: “Competitividade Regional e Emprego"
(Região de Lisboa) 
FEDER: Selecção de áreas elegíveis nos Estados membros
Sistemas de inovação regional, acessibilidades, ambiente, prevenção de catástrofes naturais
FSE: Planos Nacinais para o Emprego e Integração Social

Objectivo 3: "Cooperação Interregional"
(Substitui as IC - Iniciativas Comunitárias)
Gestão de recursos naturais
Acesso a redes e mercados internacionais
Acessibilidade regional ao conhecimento